Momento para Casais Especial para as Mães

  • 0

Momento para Casais Especial para as Mães

Category : Sem categoria

8º Momento para Casais, especial para as Mães

MINISTÉRIO INTERNACIONAL VIDA CRISTÃ

PASTOR LUCIANO MARTINS E SUA ESPOSA CARLA MARTINS

Siga nossas ministrações nas mídias sociais:

    prlucianom   Luciano Martins Igreja Internacional Vida Cristã (84) 9 913-91291

 

A Comunicação no Casamento

  1. Comunicação: Prov.18:20 e 21. Do fruto da boca de cada um se fartará o seu ventre; dos renovos dos seus lábios ficará satisfeito. A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.

A) A comunicação significa: O ato de transmitir e receber informações de modo compreensível, com ou sem palavras. Na verdade nós estamos nos comunicando o tempo todo, e esta comunicação, na maioria das vezes é feita com palavras, mas sabemos que comunicar é muita mais do que falar, até no silêncio nós nos comunicamos. Comunicação transcende o ato de falar. 

A comunicação é tão importante que quando negligenciada ou quando usada de forma errada está em primeiro lugar na lista dos problemas matrimoniais.

Partindo deste princípio é de extrema importância aprendermos a nos comunicarmos e nos comunicarmos bem!

      2   Quais os princípios para sermos excelentes comunicadores?

1º Ser um excelente ouvinte (Prov. 18:13). O que responde antes de ouvir comete estultícia que é para vergonha sua. (Prov. 17:27 e 28) O que possui o conhecimento guarda as suas palavras, e o homem de entendimento é de precioso espírito. Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido.

2º Sereno nas palavras (Prov. 15:1 e 2). A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia.

3º Transparência (claro e autêntico) Falar a verdade em amor é um grande segredo para qualquer nível de comunicação. Várias vezes, a Escritura nos convoca a manter essas duas virtudes intimamente conectadas no nosso dia-a-dia. Em Efésios 4, Paulo nos mostra a importância disso para a nossa maturidade espiritual. E ainda descreve o oposto como ser crianças que são “jogadas para lá e para cá pelas ondas e carregadas por todo vento de doutrina, por astúcia humana, por espertezas e esquemas enganosos.” (14). Imediatamente depois de caracterizar a imaturidade espiritual dessa forma, ele escreve, “Antes, falando a verdade em amor, cresçamos de todas as formas Nele que é a cabeça, Cristo” (15).

Perceba: “Falando a verdade em amor” é contrastado com a imaturidade espiritual. Em outras palavras, ser amável sem ser verdadeiro e ser verdadeiro sem ser amável são evidências da infantilidade espiritual. Amar não significa “ser meigo.” Muitos definem “amor” de acordo com a etiqueta social secular, o padrão não-cristão de discurso e comportamento aceitáveis. O amor Bíblico é muito mais do que isto. Ele diz respeito a uma obediência às leis de Deus em nosso relacionamento com Deus e com as pessoas (João 14:21; Romanos 13:10). Ele é volitivo e sacrificial, freqüentemente resultando em alguma resposta prática que beneficie outros à nossa própria custa. Aqui enfatizamos “falar a verdade em amor” com o seu cônjuge.

Se a definição de falar a verdade em amor é ser meigo o tempo todo com seu conjuge, mesmo quando ele estiver veredando para doutrinas falsas e conseguentemente para práticas hereges, então Paulo acaba mostrando a Tito como “falar a verdade em ódio” quando escreve: “Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sadios na fé e não se ocupem com fábulas judaicas, nem com mandamentos de homens desviados da verdade” (Tito 1:13-14). A preocupação de Paulo aí é claramente similar a de nossa passagem, a saber, exatidão doutrinária e maturidade. Contudo, ele diz, “Repreende-os severamente, para que sejam sadios na fé.” Bem, isto é amor ou não? Por que você pensa que Paulo diz que os repreendesse em primeiro lugar? Porque ele os ama.

 (Provérbios 27:5) Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto.

Naturalmente, repreender alguém de forma severa é com freqüência, não o primeiro passo contra a falsa doutrina ou imaturidade espiritual, mas algo geralmente reservado para o obstinado e endurecido, e aqueles em perigo iminente de naufrágio espiritual e esta é uma realidade que acontece nos casamentos. A questão é que “falar a verdade em amor” não requer de nós que sempre falemos de forma meiga e suave, mas é precisamente nosso amor que algumas vezes exige de nós proferir uma repreensão séria contra o cônjuge errante ou em pecado. Paulo escreve: “Dize estas coisas; exorta e repreende também com toda a autoridade” — algumas vezes você encoraja e algumas vezes repreende, mas sempre ensine. Algumas pessoas pensam que você deve sempre encorajar, sempre ensinar, e nunca repreender, mas Paulo assegura: “Ninguém te despreze” (Tito 2:15). Assim, continue encorajando e repreendendo em amor. Por quê? Porque o amor fala a verdade.

4º Evitar os meios de comunicação errados:

Lágrimas. Chora para conseguir o que deseja, portanto é um choro egoista.

Gritos. Impõe suas vontades pelo grito, pela ameaça e está sempre aumentando a voz para ser ouvido ou atingir seus objetivos. Obs: Os homens precisam tomar um cuidado maior com sua voz, porque naturalmente já é mais grave, então, ao aumenter pode causar danos com muita rapidez

Agressões físicas. Esta também é uma forma de se comunicar que está completamente fora das escrituras e é também passível de denúncia. Quando a comunicação partiu para este nível ela está próxima de acabar. Evite ao máximo andar neste terreno.  

Silêncio. Embora a Bíblia nos oriente a importância do silêncio e que aquele que se controla em falar pouco ou não falar passa por sábio, o silêncio em algumas situações tem provocado a ira no relacionamento. Silênciar quando é necessário falar também trás dificuldades no casamento. Não podemos usar o silêncio de uma forma desonesta. É de grande importância se abrir, falar o que precisa mudar, se arrepender de seus pecados, confessar suas culpas, enfim, falar e ser ouvido.  

Emburrado e fazer caretas. Esta é uma das formas de comunicação que mais tem provocado a ira nos relaionamentos. É um meio covarde e desprezível de se comunicar. Se esconder atrás de caretas é uma falta de amor muito grande, pois as caretas demonstram uma reprovação ou um desprezo por alguém que você foi chamado a amar e andar junto.

Fundamento da Comunicação: (I Cor. 3:11 a 13).

A Palavra de Deus é a autoridade final no casamento. Heb. 4:12.

A casa dividida cairá (Lucas 11:17).

O fundamento tem que ser rocha e não areia.

Jugo desigual = a linguagem diferente (II Cor. 6:14 a 18).

Melhorando a comunicação

Não seja um mal ouvinte, ocupando posições de defesa ou de ataque.

(Tiago 1:19).

Não permita brigas e discussões perto dos filhos: A mulher não pode

tentar tirar a autoridade do pai na frente do filho.

Sempre fale a verdade em amor: (Ef. 4: 15 a 25).

Tudo há seu tempo (escolha o momento certo). (Prov. 15:23).

Responda calmamente (Prov. 15:1).

Não critique (Gal. 6:1).

Televisão e Celular tiram o diálogo

Converse e façam planos juntos.

“O meu mandamento é este: Que vos amei uns aos outros, assim como eu vos amei”. João 15:12.

Leave a Reply


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0